Você está aqui: Página Inicial Notícias 2015 MPF processa prefeitura de Marabá por obra de drenagem que afeta Terra Indígena
Ferramentas Pessoais
prpa
     

MPF processa prefeitura de Marabá por obra de drenagem que afeta Terra Indígena

Construção de canal irregular pode levar resíduos diretamente para o rio Flecheira, limite natural do território dos índios Akrãtikatejê

02/12/2015 às 17h08

O Ministério Público Federal pediu à Justiça Federal o bloqueio da obra de drenagem irregular realizada pela prefeitura de Marabá, no sudeste do Pará. A construção de canais para escoamento de águas de um núcleo urbano (Jardim Coelhão) foi iniciada com um licenciamento ambiental apenas municipal e por isso inválido, cheio de erros graves, apesar da obra atingir diretamente o rio Flecheira, onde vivem os índios Akrãtikatejê na Terra Indígena Mãe Maria.

A situação preocupa os índios, que denunciaram a proximidade das obras ao MPF. A Fundação Nacional do Índio (Funai) e o Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama) e a Funai fizeram vistoria na obra no início do ano de 2015 e confirmaram os fatos narrados pelos moradores da Terra Indígena. O Ibama então notificou a prefeitura de Marabá para que apresentasse as licenças e projeto da obra. Em resposta, a prefeitura enviou vários documentos. Nenhum deles comprovou o licenciamento da obra e nenhum fazia referência aos índios, apesar do projeto estar localizado a apenas 700 metros da área dos índios.

Por afetar terras indígenas, o licenciamento exigiria estudos de impacto completos e a intervenção da Fundação Nacional do Índio, em obediência a leis brasileiras e internacionais que protegem povos indígenas. A obra de drenagem do Jardim Coelhão foi iniciada após assinatura de um Termo de Ajuste de Conduta com o Ministério Público do Estado do Pará, para resolver problemas de alagamento no bairro. Mesmo assim, argumenta o MPF, era obrigação da prefeitura de Marabá tomar as precauções necessárias para que a obra fosse feita de acordo com as leis em vigor.

“No projeto confeccionado pela prefeitura, foram omitidas informações relevantes no que se refere a possíveis danos socioambientais sobre a Terra Indígena Mãe Maria, muito embora não haja dúvidas que as águas drenadas serão despejadas no curso do Rio Flecheira, o qual configura recurso natural imprescindível à sobrevivência física e cultural das comunidades indígenas habitantes da referida Terra Indígena”, diz a ação do MPF, assinada pela procuradora da República Nathalia Mariel.

Agora, o MPF quer a suspensão das obras até que sejam realizados os estudos exigidos por lei, com a participação da Funai e de órgãos ambientais. Se os estudos comprovarem que a obra compromete a água do rio Flecheiras, ela deverá ser destruída e os danos já causados, se existirem, indenizados. Quem vai julgar os pedidos do MPF é a 2ª Vara Federal de Marabá.

Processo nº 2035-74.2015.4.01.3901

Íntegra da inicial


Ministério Público Federal no Pará
Assessoria de Comunicação
(91) 3299-0148 / 8402-2708 / 8403-9943
prpa-ascom@mpf.mp.br
http://www.prpa.mpf.mp.br/
http://twitter.com/MPF_PA

Ações do documento